Imprimir

Estimativas de rendimentos

Introdução: estimar rendimentos utilizando novas ferramentas digitais.

Para começar, apresentamos um vídeo onde o Eng.º Agron. Ezequiel Krieguer (membro da rede de sócios regionais da GeoAgro) explica como utiliza Campo360 e o monitoramento de satélite para realizar estimativas de rendimentos de maneira mais simples e com resultados altamente cofiáveis.

O que você vai aprender neste tutorial?

  • A selecionar e zonear um mapa de índice verde (NDVI) do cultivo em período crítico.
  • A planejar uma vistoria dirigida no lote, para avaliar elementos de rendimento em cada zona que permitam estimar o rendimento esperado.
  • A avaliar a estimativa realizada em cada zona pela área que abrange e estimar o rendimento médio do lote.

Pré requisitos

Para realizar os exercícios práticos deste tutorial, você deve criar um estabelecimento em seu Espaços de Trabalho. Para isso, é necessário ter no mínimo permissão de escrita (referência: Gerenciamento de Permissões em Espaços de Trabalho).

Caso você não tenha esse tipo de permissão, entre em contato com o administrador do seu Espaço ou entre em contato conosco pelo e-mail soporte@geoagro.com

Também é necessário ter instalado e configurado Campo360 App no seu telefone (referência: Configuração inicial de Campo360)

Contexto do Caso

Estamos num estabelecimento localizado no noroeste da Argentina, em um lote de trigo cuja data de plantio é 23 de maio de 2021. No início do mês de outubro, faltando menos de um mês para a colheita, é solicitada uma estimativa de rendimentos para projetar o volume da produção e organizar a operatória.

Utilizamos ferramentas do Campo360, selecionamos o NDVI (índice verde) do período crítico do cultivo, zoneamos e realizamos uma vistoria dirigida para avaliar o rendimento em cada zona.

tooltip text
\

Alto NDVI - Estimativa de trigo: 2,20 tn/ha

\

NDVI médio - Estimativa de trigo: 1,40 tn/ha

\

Baixo NDVI - Estimativa de trigo: 1,20 tn/ha

Depois, calculamos o volume da produção multiplicando o rendimento médio estimado de cada zona pela área correspondente, para, finalmente, adicionar as 3 zonas, dividir pela área total do lote e obter o rendimento médio estimado final.

Experimente com dados

A) Montar o campo de exemplo

Para começar o exercício faça login em Campo 360 e crie um novo estabelecimento (referência: criar estabelecimentos), dê um nome: “Demo Estimativa rendimento” (ou semelhante).

O próximo passo consiste em importar o lote do exemplo. Par isso é preciso fazer download do arquivo –zip do link e salvá-lo numa pasta local.

Depois, já no Campo360 utilizar a ferramenta Importar ≥ Opção Importar em camada existente: ≤Lotes≥ e correlacionar os atributos entre o arquivo importado e a estrutura da camada de destino (nome do lote, data de plantio, etc. – referência:  adicionar lotes > importar)

B) Seleccionar o NDVI para realizar a estimativa

De acordo com a experiência e os protocolos existentes, os mapas de índice verde (NDVI) que melhor correlacionam com o rendimento posterior são os que coincidem com o período crítico dos cultivos.

O momento mais adequado para escolher a imagem que orienta a estimativa é o período crítico do cultivo: a janela de tempo de 15-20 dias antes e 15-20 dias depois da floração do cultivo.

Durante esta etapa, o índice verde atinge seu valor máximo (o ponto mais elevado da curva do NDVI). O ideal é utilizar essa imagem para realizar o zoneamento e posterior estimativa.

O relatório da Série de índices do Campo360 permite identificar a data ideal para utilizar como referência durante a estimativa. Vamos colocá-lo a prova com o lote de exemplo:

1. Gerar o relatório da Série por índices (referência: Relatório Série de Índices).

Selecionar Sensor Sentinel e escolher 1 ou 2 NDVI por mês a partir do plantio (máximo 8), utilizando a pré-visualização para evitar as datas com nuvens.

Algumas datas sugeridas são: 2021-05-24, 2021-06-13, 2021-06-28, 2021-07-18, 2021-07-28, 2021-08-17, 2021-09-11, 2021-09-26

2. Analisar o relatório resultante e identificar a data em que o NDVI atingiu seu valor máximo (este dado pode ser obtido das tabelas que exibem o valor médio por data ou da gráfica “Evolução do valor do NDVI médio por lote”)

Conclusão: no nosso exemplo os NDVI do período crítico do trigo correspondem às datas: 2021-07-18 e 2021-07-28. Tomaremos como referência o NDVI do dia 18 de julho de 2021.

NOTA: o Painel de Benchmarking também é muito útil para realizar a curva de evolução do NDVI do cultivo (série temporal) e para selecionar a imagem do período crítico depois (referência: Benchmarking Dashboard)

3. Ativar o monitoramento de satélite e visualizar a imagem Sentinel do dia 2021-07-18 (referência: como navegar imagens de satélite)

Observar a variação de cores do índice: os pixels azuis exibem maior índice verde (zonas com maior potencial de rendimentos) e os verdes claros menor índice verde (zonas de provável rendimento menor)

C) Realizar o zoneamento baseado no NDVI

Para poder realizar a estimativa de rendimentos a partir do NDVI selecionado devemos conhecer a área representada pelos pixels de cada cor ou o valor do índice. Para isso, utilizaremos o relatório de Zonas por índice.

1. Para realizar o zoneamento utilizamos os seguintes parâmetros (referência: Relatório de zonas por índices):

  • Passo 1 > Sensor: Sentinel | Índice: NDVI |Lote: 3.
  • Passo 2 > Data Imagem: 2021-07-18
  • Passo 3 > Método de classificação: Clusters | Quantidade de tipos: 3.

2. Importar o mapa de zonas: Uma vez que foi gerado o relatório, faça login na  listagem de Relatórios Criados (referência: Gestão de Relatórios – 1 na imagem). Analisar o relatório seguindo o link desde o seu título (2 na imagem) e salvar o zoneamento como camada, utilizando a opção “Importar o geojson resultante como uma camada de Zona por Índice” (3 na imagem).

3. Visualizar a camada de zonas criada

Para colocar visível a camada no Painel de Referências:

  • Grupo: Variabilidade (1 na imagem)
  • Subgrupo: Zonas por índice (2 na imagem)
  • Nome da camada: : ‘3_ZO-NDVI_2021-07-18’ (3 na imagem)

Para ver os dados associados, fazer clique em qualquer um dos polígonos (4 na imagem)

D) Realizar a vistoria dirigida e a estimativa de rendimentos em cada zona

Esta etapa tem três partes:

  1. Enviar o mapa de zonas ao Campo360 App (precisa de conexão à internet) para orientar a navegação pelo lote. Referência: Enviar mapas ao Campo360 App.
  2. Coletar dados no lote: (não precisa de conexão à internet): marcar pontos em cada uma das zonas, avaliar os indicadores de rendimentos e tirar fotos para poder fazer a estimativa de rendimentos.
  3. Sincronizar, importar a vistoria a Campo360 Web (precisa de conexão à internet), gerar e analisar o relatório de Vistorias (referência: Relatório de vistorias)

NOTA: Não detalhamos neste tutorial a operatória da vistoria por lote, porque consideramos que não é possível, para a maioria dos usuários, replicar o processo no lote de exemplo. No tutorial Vistorias no lote com Campo360 App é descrito o procedimento a cada passo.

Quais parâmetros de rendimentos levar em conta para a estimativa?

Os componentes de rendimentos a serem avaliados nas diferentes zonas do lote dependem do cultivo, por exemplo:

  • Espigas no caso das gramíneas como trigo, milho, cevada, centeio, etc.
  • Vagem no caso da soja e amendoim.
  • Casulos no caso do algodão, etc.

A definição dos parâmetros que são avaliados no campo e a fórmula aplicada para a estimativa dependem do critério técnico de cada grupo de trabalho.

Neste caso, para a estimativa de trigo foram considerados:

  • Quantidade de espigas por área
  • Quantidade de grãos por espiga

Depois foi aplicada a fórmula a seguir:

Rendimento (kg/ha) = Espigas/m2 x Grãos/Espiga x P1000 x 0,01

Onde P1000 é o peso de 1000 grãos, um valor que depende da variedade/híbrido e das condições climáticas durante a etapa de enchimento de grão do cultivo. Para cada zona do lote o responsável estimou o rendimento e o expressou em tn/ha, como é observado no Relatório da vistoria.

E) Avaliar a estimativa de cada zona para obter o rendimento potencial de cada lote.

O último passo para chegar ao rendimento estimado do lote é:

  • Multiplicar o rendimento estimado em cada zona (tn/ha) por área (ha) para calcular o rendimento total de cada zona.
  • Adicionar os rendimentos em cada zona.
  • Dividir o resultado pela área total do lote e, dessa maneira, obter o rendimento médio estimado final.

Para isso, podemos utilizar a tabela de área que é incluída no Relatório de Zonas por índice, acrescentando algumas filas para atingir o resultado final:

A colheita no lote de trigo foi realizada no dia 25 de outubro de 2021 e o rendimento real foi de 1.50 tn/ha.

Conclusão: existiu uma diferença de só 120 quilos /ha entre o rendimento estimado e o rendimento médio real do lote. A estimativa foi realizada 20 dias antes da colheita.

Uma estimativa representativa permite:

  • Melhorar o planejamento comercial.
  • Conseguir melhoras na logística da colheita.
  • Operar de maneira eficiente no mercado a termo e proteger-nos perante a volatilidade dos preços.
  • Garantir um limite de rendimentos ao produtor/cliente
Tabla de contenidos